Raio-X
Digital

Raio-X Digital Geral

Como o próprio nome sugere, o raio-X é realizado em um equipamento que expõe o paciente a uma pequena dosagem de radiação ionizante. Diferentemente do aparelho convencional ou analógico de raio-X, na radiografia digital o paciente é posicionado na frente do tubo do equipamento. Desta forma, ele adquire as imagens a serem armazenadas e posteriormente examinadas pelo médico, sem a necessidade de revelar o filme ou digitalizar a imagem, uma vez que este equipamento já adquire a imagem digitalizada, podendo ser armazenada, pós-processada, distribuída e impressa.

Uma das principais vantagens do raio-X digital é não haver a necessidade de repetir o exame por problemas técnicos (gerando menor radiação no paciente). Além disso, este tipo de equipamento ajuda a preservar o meio ambiente, por não utilizar produtos químicos para sua revelação e não utilizar a celulose das imagens impressas, preservando árvores.

O raio-X digital pode ser realizado com gesso ou tala de gesso sem risco ao paciente. No entanto, é fundamental que o paciente informe o local em que possui gesso ou tala, para que a Ecomax possa confirmar se isso poderá interferir no exame a ser realizado. Se for necessário retirar, a Ecomax não realiza este procedimento. Neste caso, paciente deve procurar o seu médico solicitante para alinhar com ele a remoção do gesso antes do exame e a recolocação após o exame.

A maioria dos exames de raio-X não necessita de preparo prévio e agendamento, podendo ser realizado por ordem de chegada. Ainda assim, é de extrema importância relatar à nossa Central de Agendamentos sobre o exame solicitado, pois desta forma o paciente será direcionado para as unidades corretas e receberá orientações de preparo quando necessário.

A Ecomax não realiza:

→ Raio-X de Articulação Temporomandibular (ATM)
→ Raio-X de Perfil de Cavum com cefalometria
→ Raio-X de Mastoides ou Rochedos
→ Raio-X odontológico

Histerossalpingografia

A histerossalpingografia é um exame normalmente realizado para verificar se há alguma anomalia no útero ou nas trompas de pacientes que apresentam dificuldade para engravidar, mas também pode ser feita para investigação de outros problemas ginecológicos ligados à anatomia do útero e das trompas.

A histerossalpingografia é feita em um aparelho de raio-X associado ao uso de contraste. O contraste é injetado no colo do útero por meio de um cateter, com a paciente em posição ginecológica, ou seja, deitada e com os joelhos dobrados. O raio X não atravessa o contraste, e assim é possível ver a anatomia do útero e das tubas uterinas durante o exame. É comum que ao longo do exame o médico peça para a paciente modificar sua posição, o que ajuda a distribuir melhor o contraste, fornecendo mais informações.